DOBE + Mattricaria + SUI

Colaboração sempre foi palavra de ordem na DOBE. Em 2018, participamos do projeto WEDO Brazil e lá conhecemos a SUI, iniciativa que tem como objetivo questionar os padrões praticados pela indústria da moda, desafiando o modus operandi e desenvolvendo soluções biofabricadas e inovadoras. A sinergia de propósitos foi instantânea. 

Em seguida, as responsáveis pela SUI nos apresentou a Maibe Maroccolo, idealizadora da Mattricaria, empresa que começou com um projeto de pesquisa de plantas tintoriais. Maibe, formada em moda, passou 6 anos em Londres se especializando em ‘moda e desenvolvimento sustentável’ e voltou para o Brasil com uma vontade latente de pesquisar pigmentos nacionais.

A Mattricaria já desenvolveu produtos com diversas marcas, mas o seu objetivo maior é compartilhar conhecimento. A empresa quer ser fornecedora de pigmentos naturais para diversas indústrias, sempre falando sobre impacto positivo. “Precisamos colocar em prática valores e ideais e ver o que dá certo e o que precisa melhorar. Sustentabilidade é mão na massa. Precisamos de marcas que falem menos e façam mais”, conta Maibe.

Esse encontro de três projetos inquietos, com sede de mudança, resultou em uma coleção de upcycling com técnicas de tingimento natural. A DOBE possuía um estoque de peças de coleções antigas e descartar nunca foi uma opção. Por isso, a SUI e a Mattricaria trouxeram expertise para ressignificar essas peças. Todos os pigmentos usados para tingir as camisetas foram coletados em Brasília. Foram usadas, por exemplo, cascas de cebola com solução ferrosa e folhas de eucalipto.

Carolina e Carolyne, ambas biotecnologistas que encabeçam a SUI, defendem a interseção entre moda e tecnologia e acreditam que “que algumas das respostas para as problemáticas socioambientais da moda estão em retomar o contato com a natureza e com saberes ancestrais, aliados à inovação proporcionada pela biotecnologia. A ciência remete a um conhecimento sistemático, metódico. E é aí que entra a moda: pode ser fluida, expressiva, muito subjetiva, mas também cheia de conhecimentos tradicionais associados. Gostamos de estar na interseção desses dois mundos.”

E mais uma vez, estamos à frente!

Processo de tingimento.
Arara com as peças da coleção na DOBE General Store.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *