Moda x Meio Ambiente

A moda, que por muitos é vista como uma ferramenta de expressão, é na verdade uma grande indústria que emprega mais de 60 milhões de pessoas ao redor do mundo. No Brasil, a indústria têxtil é a segunda maior geradora de emprego, perdendo apenas para o setor de alimentos e bebidas, faturando um total de US$ 51 bilhões, segundos dados da Abit – Associação Brasileira da Indústria Têxtil e Confecção.

Um lucro tão alto acompanha um alto impacto ambiental: uma plantação de algodão, por exemplo, requer tanta água que uma simples camiseta branca necessita de 2000 litros para ser produzida. Segundo relatório da Fundação Ellen MacCarthur sobre o tema, a produção de moda gera atualmente 1,2 bilhões de toneladas de gases de efeito estufa por ano.

A Fundação Ellen MacCarthur é uma instituição que visa incentivar a economia circular, filosofia que também baseia a DOBE. A economia circular tem como objetivo minimizar o impacto humano no meio ambiente, substituindo o processo produtivo linear pelo processo circular, onde os resíduos são insumos para a produção de novos produtos.

O conceito de reaproveitamento e a busca pela redução do impacto ambiental é uma premissa para todas as marcas que querem se manter no mercado, já que a veia sustentável não é mais um diferencial e sim uma obrigação. A DOBE se firma neste segmento através do upcycling e da criação de tecidos tecnológicos/sustentáveis, como o feito a partir de garrafa pet da camiseta Designing Freedom. Nós estamos fazendo nossa parte, e você?

 

A moda em ciclo

A vida útil de um produto se dava de forma linear, do momento em que era produzido, à sua compra e então descarte. O consumo humano, principalmente no que se refere à Moda, seguia esse padrão.

Assim, a quantidade de matérias-prima, energia e recursos necessários para manter esse tipo de cadeia produtiva apenas crescia, junto com o seu desperdício. Um processo de desequilíbrio que destrói os recursos naturais.

A insustentabilidade e os danos desse modelo hoje  estão sendo deixados para trás, graças a iniciativas das chamadas Economia Verde e Economia Circular. Uma dessas práticas que já está sendo utilizada por empresas do ramo da Moda é o upcyclingO termo se refere à transformação de um produto já produzido em algo novo, muitas vezes com novo propósito e valor.

Diferente do processo de reciclagem, o upcycling é realizado sem processos químicos e reduz o consumo de novas matérias-primas, de energia e da poluição da água e do ar. O processo se torna mais sustentável que a própria reciclagem.

A Moda que sempre é ressignificada e caminha por tendências, hoje, mais do que nunca atua como agente transformador frente a essas e outras práticas sustentáveis que podem ser incorporadas na vida cotidiana.

As marcas que incorporam a prática do upcycling dão continuidade ao ciclo de seus produtos e afirmam a sua capacidade de inovação ao aproveitar “antigos” produtos para a criação de novos. Repensar o design, a produção e a forma de consumo não é apenas uma tendência, e sim uma emergência para com o nosso planeta.